Biografia

 

Nascido no Bairro da Tijuca, 13 de dezembro de 1905, filho de D. Henriqueta Cunha e de Fernando de Castro Corrêa de Azevedo, faleceu em Paris –França, em 10 de novembro de 1992. Filho de ilustre família do Rio de Janeiro. Seu pai ocupou a presidência da Câmara de Vassouras, seu avo Luiz Augusto Corrêa Azevedo foi fazendeiro ligado à corte do II império. Em seus laços de familiares, encontramos: Luiz Correa de Azevedo, médico de grande projeção na corte, membro titular da Academia de Medicina e citado por Gilberto Freire, em "Casa Grande e Senzalas"; Acácio Correa de Azevedo, introdutor do gado zebu no Brasil e Fortunato Correa de Azevedo, avô de Marta Correa Azevedo, mãe do famoso compositor Noel Rosa.

A trajetória profissional de Luiz Heitor Corrêa de Azevedo se divide em duas fases. A primeira inicia em 1928, quando começou como articulista do jornal "O imparcial," passando por outros jornais; posteriormente, em 1934, desenvolveu atividades de bibliotecário no antigo Instituto Nacional de Música, no Rio de Janeiro, onde em 1939, assume a cátedra de folclore nacional, permanecendo até 1947. A segunda fase ocorre quando é convidado para coordenar os serviços de música da UNESCO, em Paris-França, na qual desempenhou um notável papel em prol da música, dos músicos do Brasil e do mundo.

Também se destacam em sua carreira as seguintes atividades: presidente da Associação Brasileira de Música (1934-1937); fundador do Centro de Pesquisas Folclóricas (1943); fundador, na UNESCO, o Conselho Internacional de Música (1949); Chefe da seção de cooperação com as Organizações Culturais Não-Governamentais da UNESCO (1953-1965); professor de história da música latino-americana no Instituto de Altos Estudos da América Latina, Sorbonne-França (1954-1968); Professor visitante da Tulane University-EUA (1967-1968); professor visitante na Indiana University-EUA (1969).

Recebeu premiações pelos serviços prestados à música: em 1977, prêmio do Conselho Internacional de Música; e medalha do Instituto Leonardo da Vinci, Milão, Itália; em 1979, membro de honra, eleito por unanimidade na Assembléia Geral do Conselho Internacional de Música, Melbourne, Austrália; em 1982, Sócio Honorário da Sociedade Brasileira de Musicologia (SP) Brasil; em 1985, Diploma "Honra ao Mérito" conferido pelo Conservatório Brasileiro de Música (RJ) Brasil; e no mesmo ano, título de "Professor Emérito" da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Luiz Heitor teve projeção de destaque no processo embrionário da musicologia brasileira. Sua atividade de pesquisador do folclore e da música artística do século XIX no Brasil se mostrou notória. Quanto à atividade de crítico musical, o musicólogo deu sua contribuição na discussão dos rumos estéticos e dos valores culturais de um período importante da música produzida no país. Época de fortes tendências ideológicas, imbuídas do conceito modernista e nacionalista.